Enquanto o número de empreendedoras aumenta, com isso, aumenta também a competitividade do mercado. Isso não é novidade. Mas o que fazer diante deste cenário? Você deve estar se perguntando: O que faço com o sonho que estou começando a realizar?

Primeiro: a competição é saudável em alguns aspectos.

O marketing de relacionamento, apelidado de “O Novo Marketing”, chegou para revolucionar toda uma cadeia organizacional nas empresas. O aumento da tecnologia abriu caminhos para diversidade de opções para os clientes e os concorrentes têm mais facilidade de “roubar” ideias e sair na frente, se for o caso, com o uso da inovação e porque não, aproveitando bem uma oportunidade.

Vejo empreendedoras perdidas em relação ao mercado quando se fala de destacar a sua marca e promover o diferencial – que hoje é imprescindível para o crescimento do negócio.

O primeiro passo é focar no seu público e direcionar os esforços e gastos de marketing com quem realmente está interessado no que você está oferecendo.

“Marketing de relacionamento definitivamente é atrair, realçar e intensificar o relacionamento com clientes finais, clientes intermediários, fornecedores, parceiros e entidades governamentais e não governamentais, a través de uma visão de longo prazo na qual há benefícios mútuos.” (Guia de Implementação de Marketing de Relacionamento e CRM – 1ª edição / 2004, Roberto Madruga, pág. 20)

A citação acima nos diz claramente que precisamos gerar valor para todos os relacionados com a empresa, de alguma forma, fazendo algum tipo de troca.

Pense em um relacionamento que gere valores em longo prazo

Durante o tempo em que você tiver alguém como cliente, este será “bombardeado” de ofertas e novidades que tentarão atrair e fazê-lo mudar de fornecedor, rompendo assim, a fidelidade que até esse dia, tinha com a sua empresa. A partir daí, encontramos o motivo mestre das investidas incessantes e intensas em relação a criar um relacionamento à prova de concorrentes.

Conheça o seu cliente com profundidade

Os objetivos devem ser negociados e acompanhados com excelência, sempre solicitando a opinião e em todo o tempo, focando em detalhes para que o consumidor seja reconhecido como alguém importante para a organização.

Utilizar meios de marketing como cross-selling (O cliente é retido/fidelizado quando a empresa oferece um novo produto que, geralmente, está relacionado a outro que já possui) e o Up-selling (O cliente é retido/fidelizado ao comprar um produto de categoria superior ao que já possui), podem ser ótimas ferramentas para se conseguir esta finalidade (a fidelização).

Para tomar estas medidas, faz-se necessário a implementação de um sistema de CRM (Costumer Realationship Marketing – Marketing de relacionamento com clientes). Uma base de dados com os gostos, costumes, preferências e produtos que provavelmente venham adquirir um dia. Não basta apenas armazenar os dados. Para o sucesso de uma relação comercial, estes dados precisam ser monitorados e utilizados de forma sistêmica com a finalidade de personalizar e encantar cada cliente de forma especial.

Se você está começando e não tem ainda como utilizar uma base de dados do tipo do CRM, comece com um fichário, caderno, algo em que possa anotar dados indispensáveis como nome completo, data de aniversário, endereço, telefone, os produtos que costuma comprar, para quem costuma comprar, profissão, hobbie, e para consultas futuras, utilizar esses dados em uma ligação ou até na forma de escolha quanto a um brinde que possa ser enviado juntamente com o produto/serviço, a qual você saiba pela sua fonte, o que poderia trazer uma satisfação e consequentemente, uma fidelidade da parte do consumidor – o que gera menos desperdícios e foco no que realmente vale a pena no dia a dia da empreendedora.

Comente, participe!